Avatar

Megafone

Brasil Favela

Certa vez escrevi um texto falando sobre a favelização da sociedade brasileira, disfarçada de inclusão social.
Lembro que quando o funk apareceu em meados dos anos 1990, sofreu muito com a resistência da “sociedade tradicional”. Isso até um domingo fatídico, que Caetano Veloso levou um grupo de funk ao Domingão do Faustão. Ficaram durante uma tarde inteira, com aquelas vozes inaudíveis, enquanto eram aplaudidos e bajulados.


Lembro-me nitidamente do sorriso cínico de Caetano, como se ele estivesse falando mentalmente: “Eles vão achar bom qualquer merda que eu mostrar, por que sou eu quem está mostrado”.
E foi justamente isso que aconteceu.
No domingo seguinte estava lá um grupo cantando “rap das armas” (ressuscitado no filme Tropa de Elite) no programa da Xuxa, música que aliás, é um dos hinos do Comando Vermelho.
A partir daí foi só ladeira abaixo.
Com a popularização da internet as pessoas passaram a ter acesso aos tais funks proibidões, aqueles que tem letras que seriam impróprias para serem exibidas no Domingo Legal ou no Caldeirão do Huck. Porém, a verdade era que a maioria das músicas exibidas nesses programas não passavam de versões amenizadas das tocadas nos bailes funk.
Quem não ouviu "Só as cachorras, as preparadas, as popozudas..." ?
Então veio o golpe final: "É som de preto, de favelado, mas quando toca ninguém fica parado", refrão que se popularizou através da trilha sonora da novela O Clone, exibida no horário nobre.
Então, fazendo da velha tática de vitimização, a esquerda passou rotular como racistas, preconceituosos, elitistas todos aqueles que declaravam não gostar de funk.
Foi o fim.
Agora o funk tem local reservado em todos os programas das tardes de domingo.
Todos os celulares dos adolescentes estão tocando.
Ficamos sabendo apenas desse estupro, mas quantos outros devem ter ocorrido sem nós sabermos?
O funk é a verdadeira cultura do estupro criada e fomentada pela esquerda, lavanderia de dinheiro do tráfico de drogas.
Isso não foi um caso isolado.
Vem acontecendo de forma sistemática, pois plantas crescem apenas em solo e clima ideal.
Coloque todo tipo de pessoa em um local repleto de álcool, drogas e com músicas sobre "foder com as novinhas".
Não vai acontecer nada de errado (sarcasmo).
Estão apenas colhendo o que plantaram.

por Marcos Figueiredo





Um Brasil que não aconteceu


Dizer que a citação ao Coronel Brilhante Ustra, feita por Jair Messias Bolsonaro durante a seção da votação do processo de impeachment na Câmara dos Deputados, foi um erro, é concordar com a mentira socialista. Ainda que os militares tenham matado e torturado, suas ações, quando ocorridas, restringiram-se apenas àqueles que queriam implantar o socialismo no Brasil, entregado assim, de mão beijada, nossa soberania nas mãos da hoje extinta URSS.



Na conta do socialismo temos 100 milhões de inocentes mortos. Não eram militares, não eram guerrilheiros. Eram homens, mulheres, idosos e crianças comuns. Eram civis.

OS SOCIALISTAS GANHAM A VIDA MENTINDO!

ENTENDAM ISSO DE UMA VEZ POR TODAS!!!!

É sabido que haviam espiões, tanto soviéticos quanto norte americanos, agindo aqui no país. Imaginem agora, caso por ventura, os socialistas tivessem conseguido tomar o poder aqui. Invés de regime militar, teríamos aqui intervenções militares estrangeiras. O mundo estava em plena guerra fria. Em 1964 faziam apenas três anos que o Muro de Berlin havia sido erguido. Aconteceria aqui no Brasil o mesmo que aconteceu no Afeganistão. Se eles tivessem tomado o poder, hoje provavelmente o Brasil estaria irreconhecível. Perderíamos territórios e estaríamos completamente na miséria.



por Marcos Figueiredo






Entenda por que os nazistas perseguiam os comunistas


Como todos nós já sabemos, Hitler era membro do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães. Em resumo, o partido nazista era um partido socialista ultranacionalista.

Por outro lado, naquela época, os comunistas estavam, todos eles sem exceção, alinhados com a União Soviética, servindo de agentes para a expansão da então existente URSS – União das Repúblicas Socialistas Soviéticas.
Reunião do Partido Nazista - Anos 30

Portanto, ainda que ambos fossem socialistas, os nazistas por serem ultranacionalistas não permitiriam, de jeito algum, que a soberania e a autonomia do seu país fossem entregues ao governo central de Moscou. Também foi por esse motivo que alguns industriais se aliaram ao partido nazista. A fim de proteger seus bens particulares e suas propriedades, eles buscaram a segurança contra um possível golpe comunista soviético, uma vez que conheciam o destino daqueles que se opunham ao sistema: expropriação e morte. Aliás, o mesmo destino que tiveram aqueles que se opuseram ao partido nazista.

Dentro desse contexto, Adolf Hitler foi a pessoa que mais se aproximou de alcançar o ideal socialista e a utopia comunista. Em sua ideologia, ele fez algumas mudanças, além de uma interpretação pontual sobre a obra de Engels e Marx. Lá é dito que "Para o advento do socialismo povos e nações que não estiverem preparados devem perecer". Além disso, também dizia que os proletários eram os eleitos para liderar essa nova ordem mundial. Hitler substituiu burguesia por judeus e proletariados pelo povo ariano, dando a este último a condição de povo eleito para liderar e reinar sobre todos os outros povos da terra.

Então é algo bastante simples de ser entendido. Naquele momento, o mundo se deparava com duas possibilidades: Ou Adolf Hitler daria início à Segunda Guerra Mundial ou Josef Stalin o faria. Restava apenas aguardar e descobrir quem desempenharia o papel de vilão da humanidade. Prova disso foi dada quando, após a tomada de Berlin e a constatação da morte de Hitler, o general norte americano George S. Patton defendeu a ideia de marchar sobre a União Soviética. Ele alertou que, caso isso não fosse feito, no futuro o socialismo traria muitos problemas para o mundo. O resultado disso, todos podemos ver hoje a olhos nus.

por Marcos Figueiredo




Livre mercado x Capitalismo selvagem

Capitalismo de estado



O Livre mercado prega a livre iniciativa e a ampla concorrência, sendo que nesse sistema não é permitido haver monopólio, cartel e preços pré estabelecidos, nem pelo mercado, nem pelo estado.

O livre mercado se sai bem melhor se comparado ao capitalismo selvagem, capitalismo de estado e ao comunismo. Vejamos o porquê.

No capitalismo selvagem, os industriais, latifundiários e banqueiros buscam ser hegemônicos no setor em que estão concorrendo ou em todos os setores, até mesmo no político. 

A longo prazo o Capitalismo selvagem concentraria nas mãos de pouquíssimas pessoas o controle da economia, produção e valor de alimentos e produtos industrializados. Sem concorrência, o desenvolvimento de novas tecnologias ficaria a cargo do dono daquele setor que, normalmente, estaria sempre interessado em diminuir gastos e maximizar os lucros, havendo assim também um declínio na produção científica nas áreas de física, química, biologia, matemática e filosofia, a não ser que seja do seu interesse, havendo pouca especialização de mão de obra e produção acadêmica. 

O capitalismo selvagem também gera uma insatisfação geral por parte da classe trabalhadora, que se vê insatisfeita por não ter outra opção a não ser um trabalhador assalariado. 
Duas consequências podem acontecer com esse modelo.

1º Com uma massa geral de trabalhadores assalariados descontentes, uma revolta geral pode acontecer contra aqueles que controlam a economia e contra o governo omisso, mergulhando o país em caos e anarquia, fazendo com que o estado e economia entrem em colapso, dando espaço para políticos e intelectuais inescrupulosos usarem o povo como massa de manobra, levando o país a uma ditadura comunista ou fascista. 

2º Temendo perder sua influência sobre as decisões, o estado usa seu poder para desapropriar e assumir o total controle social e econômico, levando esse país ao capitalismo de estado.

O capitalismo de estado nada mais é do que todos os setores da economia sendo tomadas pelo estado e por pessoas que estão nesse cenário. 
O que move o estado é a política e esta não está livre da corrupção. O estado usa da burocracia para regular de que formas os setores primário, secundário e terciário devem proceder, delegando funções como ministros e secretários, que são cargos temporários, se considerarmos que falamos de uma nação democrática. Nos campos de ciências, esse modo pode até mesmo produzir mais conteúdo, mas tudo está ligado aos interesses do estado e àqueles que estão no comando naquele momento. 
Devido à alta burocracia é muito difícil o surgimento de novas iniciativas no setor econômico e cultural, fazendo então com que as melhores oportunidades de emprego estejam ligadas a cargos públicos. 
No cenário social os partidos políticos passam a se aliar a setores da sociedade como religiosos, ecologistas, movimentos a favor das minorias e imprensa, para aumentar a sua influência sobre sociedade e vice-versa. Comportando-se de forma completamente populista, o estado controlado pelos partidos políticos, passa a executar ações completamente eleitoreiras e populistas. Tais ações levam ao surgimento de uma parcela da sociedade completamente dependente do estado, que acredita ser obrigação estatal fornecer 100% da educação, saúde, dinheiro e comida, trazendo apenas despesas ao estado, fazendo que outra parcela da população trabalhe mais recebendo menos, para que se possa sustentar essa outra parcela dependente. A longo prazo esse sistema entrará em colapso, o cenário político se tornará uma verdadeira feira livre de políticos que tomam decisões somente para agradar grupo social A ou B, se esquecendo da sociedade como um todo. Cada decisão tomada em benefício de um grupo específico da sociedade, desagradará a outro, que também exigirá benefícios levando a uma escalada do caos legislativo. 
A economia completamente burocrática não trará bons serviços de educação, segurança pública, produção e distribuição de alimento e a estagnação da indústria.
Por fim isso trará desastres como inflação desenfreada, falta de produtos básicos. Agora o estado já não pode mais sustentar a parcela da população que depende completamente dele e o restante da sociedade que é empregada, já não consegue manter um padrão de vida confortável e nesse momento exigem do estado uma solução para aquela situação. 
Duas consequências também trazem um fim a isso. 

1ºCom a população completamente descontente com o estado, porém acostumados que ele tome todas as decisões, acabarão por apoiar partidos que prometerem soluções extremamente populistas, aumentando cada vez mais o poder do estado, nunca saindo daquela situação. 

2º A população não quer mais saber de nenhuma ação do estado e pedem a sua diminuição, nesse momento o estado pode usar toda sua força para reprimir a população, mantendo o controle que tinham antes, só que agora por opressão ou o estado cede a pressão popular e se abre para o livre mercado.

O livre mercado é o melhor sistema econômico que pode ser aplicado em qualquer lugar do planeta. Seu sistema de ampla concorrência, com estímulo a livre iniciativa, tendo assim espaço desde a produção industrial de larga escala até agricultura de subsistência, com o mínimo possível de interferência do estado, que deve interferir apenas para que não haja sistemas de preços combinados, propaganda enganosa, desrespeito ao consumidor e monopólio. O estado não deve se envolver no mercado além desse ponto.
Com a livre concorrência as empresas devem investir em seu desenvolvimento e em novas tecnologias agradáveis ao consumidor, que ficará mais exigente, fazendo com que se desenvolvam novas tecnologias. Nesse mesmo sentido, o mercado exigirá mão de obra cada dia mais especializada, implicando na exigência de um melhor sistema de ensino, para que haja sempre avanço das áreas químicas, biológicas e exatas, culminando sempre no desenvolvimento de novas tecnologias que sejam mais baratas, menos nocivas ao ambiente e sem perder a qualidade. Um bom exemplo disso é o mercado de informática, onde em seu surgimento computadores ocupavam andares inteiros de prédios, discos rígidos enormes que comportavam apenas 40MB de espaço. Com o surgimento do computador pessoal a concorrência fez com que a melhorasse a qualidade dos aparelhos, chegando hoje aos chips minúsculos que comportam mais de 30GB de espaço, tablets e notebooks que nos permite levá-los e ter acesso em qualquer lugar. 
Com a necessidade constante de melhorar o serviço e produto oferecido, o mercado precisará de mão de obra cada dia mais especializada, levando o trabalhador a procurar aperfeiçoamento, visando uma melhor remuneração, implicando no crescimento de uma demanda ainda maior de ensino de qualidade. Esse cenário a longo prazo trará um maior conforto a sociedade em geral, que irá se desenvolver de forma gradativa e diminuindo a desigualdade de forma considerável.

Extra
Ditaduras fascistas e comunistas e teocráticas

Nos sistemas de Capitalismo selvagem e Capitalismo de estado, vemos que podem surgir revoltas populares, por vezes resultando em revoluções de cunho altamente nacionalista (fascista), proletariado (comunista) ou fundamentalista religioso (talibã e regime dos aiatolás). Nesse caso a revolta chega a níveis descontrolados, ultrapassam os protestos e se tornam extremamente violentas.
Família Real Russa
Em ambos os casos vemos sempre líderes que invocam a unidade nacional ou a libertação do oprimido. Todavia esses líderes são sempre movidos pelo revanchismo e pela sede de poder, entrando em choque com a elite dominante política, econômica social ou religiosa. A exigência de um estado social, econômico, cultural e religioso completamente novo exige que o anterior seja eliminado e isso não acontece da noite para o dia, por isso vemos tantos atos desumanos em revoluções ocorridas ao longo da história, pois o movimento revolucionário visa esterilizar o estado vigente anteriormente, para que não haja nenhuma chance de contra-revolução. Vimos isso com o extermínio da família real russa na revolução bolchevique, a degola de centenas na revolução francesa, o confisco dos bens e o envio de judeus para os campos de concentração na Alemanha, o radicalismo religioso que ocorreu no Irã e no Afeganistão. Em síntese, toda ação revolucionária promete a libertação para a classe menos favorecida, porém só gera uma outra elite, tão ou mais opressora que a anterior. Esta, só será derrubada por uma outra revolução. Até que se chegue em um estado onde a última revolução não sairá mais do poder, deixando uma nação completamente destruída, uma população sem forças para se erguer, vivendo completamente a mercê da vontade homens que são verdadeiros monstros, desprovidos de amor a vida humana.

Não existem heróis em uma revolução.


por Marcos Figueiredo

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails
 
©2007 '' Por Elke di Barros